“É uma quadrilha grande e a operação ainda não foi concluída” afirmam delegados

Ao total 13 foram presos e seis morreram em confronto com as polícias. A quadrilha explodia bancos e carros-fortes na região.

Por Ítallo Timóteo | 15 de abril de 2018 às 12:38

 

“É uma quadrilha grande, com diversas ramificações e com vários integrantes, é por isso que à ação ainda não foi concluída.” Foram essas as palavras dos delegados responsáveis pela operação policial que iniciou há cerca de 10 dias e não tem data para ser concluída.

 

Até o momento 13 pessoas foram presas e seis morreram em confronto com as polícias dos Estados de Alagoas e Pernambuco.

 

As informações exclusivas ao Radar 89, foram repassadas pelos delegados Mário Jorge Barros – diretor da Divisão Especial de Investigação e Captura (DEIC), Vinicius Ferrari – do Serviço de Roubos a Banco (SERB) e Rodrigo Rocha Cavalcanti – regional da área do alto sertão.

 

Segundo eles, a operação iniciou no dia 7 desse mês em Buíque cidade do Estado Pernambucano. Lá foram presas quatro pessoas que estariam em um hotel no centro da cidade. Três dos acusados presos são do Estado de São Paulo e outro do Ceará. Eles foram identificados como: Roque Rudson dos Santos Silva, Nilson Almeida Silva e Felipe Klinger de Almeida, naturais de São Paulo. O quarto integrante, José Maciel da Silva, natural do Ceará, foi preso quando retornava para a pousada.

 

Diante dessas prisões, as polícias tiveram acesso a mais informações e conseguiram frustrar uma tentativa de explosão ao banco da cidade de Tacaratu no Estado de Pernambuco, na quinta-feira, 12. Na ocasião quatro bandidos morreram em um confronto com o Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI), antiga CIOSAC, na cidade de Ibimirim-PE, dois dos mortos foram identificados como ‘Geleia’ e Risomar, os outros não foram identificados.

 

Dando continuidade a operação, uma ação interestadual resultou na prisão de seis pessoas na sexta-feira, 13, nas cidades de Inhapi, Mata Grande e Canapi, no Sertão de Alagoas. Elas foram identificadas como:

 

1 – João Batista dos Santos Silva, mais conhecido como ‘João de Ciriaco’, preso em sua residência na cidade de Mata Grande.

 

2 – Flávio Oliveira da Silva, ‘Tota’, preso no Sítio Saco de Almeida, município de Mata Grande.

 

3 – Jaedson da Silva Leite, ‘Cafuçu’, preso na cidade de Mata Grande.

 

4 – Gilmar Ferreira da Silva, ‘Dukek’, preso em Canapi.

 

5 – Sidney Pereira Lima, ‘Pitbull’, preso em Inhapi.

 

6 – Adeilson de Menezes Bezerra, ‘Delson’, preso em Mata Grande.

 

Um dia após a operação interestadual, as polícias alagoanas receberam novas informações que parte restante da quadrilha estava se preparando para praticar mais um assalto na região. Dois carros haviam sido roubados, um deles um Fiat Argo na cidade de Piranhas e uma Hilux no Estado de Pernambuco.

 

Um forte aparato policial foi montado e as viaturas seguiram para a cidade de Água Branca no Sertão de Alagoas, onde foram recebidas a tiros e dois deles tombaram no confronto. Nenhum policial ficou ferido. Os mortos foram identificados como: José Cláudio, o ‘Claudinho’, natural de Paulo Afonso – BA, e Anderson Marinho Gomes, ‘Bebe ovo’, natural de Petrolina-PE.

 

Na ação foram presos três homens identificados como: Ivo Marcelino Alves dos Santos, Divo da Cruz Santos e Aldean Oliveira Santos. A naturalidade deles não foi divulgada. Com eles foi apreendida uma grande quantidade de munições, três fuzis 556, um fuzil 762, espingardas calibre 12 e uma grande quantidade de explosivos.

 

 

O bando é acusado de explodir um carro-forte no dia 5 de março na BR-423 no Povoado Leobino em Inhapi e na tentativa de explosão no dia 4 de abril, também na BR-423. Do assalto ao banco do Brasil de Piranhas e Poço das Trincheiras, além de cidades do Estado de Pernambuco.

 

Nesta segunda-feira, 16, um balanço da ação será realizado, durante a coletiva de imprensa, na capital Maceió. Estarão presentes os delegados responsáveis pela ação, o secretário Lima Júnior e demais integrantes da cúpula da Secretaria de Segurança Pública.

 

A operação contou ainda com a participação dos delegados: Guilherme Iusten pertencente a DEIC de Alagoas, Ariosto Esteves, de Tacaratu – PE. Majores Anaximandro Tenório e Wilson do 9º – Batalhão da PM em Delmiro, Capitão Pedro Morais do (BEPI), antiga CIOSAC, Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE/AL), Tigre da Polícia Civil, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

 

Ainda deram apoio Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), antigo (CECOC) e o Grupamento Aéreo de Alagoas.

 

A ação foi determinada pelo Secretário de Segurança Lima Jr e supervisionada pelo delegado-geral Paulo Cerqueira e o comandante-geral da PM, Marcos Sampaio.

Deixe aqui seu Comentário

prefeitura delmiro
ENQUETE
  • Você é contra ou a favor da legalização do aborto?

    Resultado da Enquete

    Carregando ... Carregando ...
  • INSTAGRAM
    Radar89 © 2014 - 2017 Todos os direitos reservados.